Exercícios de humildade


A amizade é o amor sem preço nem prazo de validade.
Amamos os nossos amigos sem que os seus defeitos nos afectem. 
Perdoamos fraquezas, ausências e silêncios, relevamos deslizes e esquecimentos,
não exigimos deles mais do que o que já sabemos que nos podem dar.
A minha melhor amiga quase nunca está na Internet, sei que é assim, conto com isso quando preciso de falar com ela e não tenho mensagens. Se for mesmo importante, 
mando-lhe um sms de um outro telemovel e ela liga-me logo a seguir. Os amigos são isto: deles aceitamos quase tudo, estamos sempre prontos para os ajudar e damos-lhe quase sempre razão. Sabemos ouvi-los, intuímos quando estão mal, gastamos o nosso tempo a encontrar soluções que os ajudem. Os problemas dos nossos amigos ganham por vezes proporções tão grandes para eles como para nós, que não descansamos enquanto eles não ultrapassarem as suas crises. 

Se sabemos ser tão bons amigos, porque é que tantas vezes não conseguimos fazer o mesmo com o outro, com a pessoa que vive connosco ou com quem partilhamos a nossa vida? Por que é que o amor é tão mais exigente, tão mais egoísta, tão mais inflexível, tão menos generoso? Por que é que o amor incondicional que acreditamos sentir pelo outro se vai transformando numa soma de compromissos, e do dar tudo por tudo passamos para dar na medida daquilo que recebemos, ou dar para depois cobrar?

Talvez o amor real se resuma a este perpétuo exercício de humildade que é dar e receber, com conta, peso e medida, tentando não cair na tentação de cobrar. Os cobradores de amor são ainda mais sinistros do que os cobradores de impostos. Quem está sempre a cobrar não conhece as regras básicas do jogo amoroso. Mais importante do que falar, é agir. Mais eficaz do que explicar, é dar o exemplo. E mais interessante do que repetir sempre as mesmas queixas, é escreve-las e pendura-las na parede. As pessoas ouvem as mesmas coisas melhor se forem ditas por outras pessoas ou escritas.

O amor real, o que não alimenta nem a música nem a literatura mas que nos alimenta todos os dias, é um contínuo treino de qualificação. É preciso parar para pensar e pensar antes de agir, de protestar, de cobrar. Sem empatia, é impossível construir o amor. A empatia é a capacidade de perceber o que o outro sente, o que o outro quer, o que o outro precisa, sem impor o que acreditamos ser o melhor para ele. 
Amar alguém é como dar a mão, mas sem forçar
às vezes é preciso puxar para cima, outras vezes é melhor largar e deixar que 
o outro siga por onde quer, mesmo sabendo que ele se vai enganar e voltar atrás.

Amar é sempre uma forma de exercer poder, da mesma forma que ser amado é
aceitar que o poder do amor que o outro tem por nós paire sobre a nossa cabeça, 
por vezes sob a forma de um manto protector, outras sob a forma de uma espada, porque quem nos ama é porque já nos projectou no seu espírito, quem nos ama quer sempre que sejamos mais e melhor do que somos, quem nos ama quer 
sempre moldar-nos ao seu desejo ou à sua imagem e semelhança.
Amar é um jogo de sentidos e de poderes, é preciso ser 
humilde e generoso para o ganhar, todos os dias um bocadinho, com esforço
e entendimento, sem medo de falhar. 
Se assim for, ninguém perde e ganham os dois.

15 comentários:

  1. gosto MUITOO do teu blog, mas é complicado cá chegar porque nao tem logo hiperligação. tenta arranjar isso, já te sigo *

    ResponderEliminar
  2. nao é nada, já encontrei desculpa. era burrice minha :)

    ResponderEliminar
  3. É tão verdadeee! Nas amizades é tudo mais fácil mas erradamente.. Tadinhos dos boyfriends eheh

    xoxo F.

    ResponderEliminar
  4. desculpa só vir responder agora, mas muito obrigada na mesma (:
    adorei o teu blog e seguirei com todo o gosto *

    ResponderEliminar
  5. Esse amor incondicional, esse dar sem receber em troca, é tão mais fácil entre mãe e filho...
    Bjinhos

    ResponderEliminar
  6. Ohh, muito obrigada! Vou seguir também, gostei imenso, beijinho*

    ResponderEliminar
  7. Mas não é a amizade uma forma de amor? E não é o amor pelo outro uma forma de amizade?
    Para mim amar é amar com mais ou menos intensidade, mas sempre amar :)
    Beijinho
    (ah, para mim é fácil falar... não tenho namorado... ;))

    ResponderEliminar
  8. Acho que o nosso mais que tudo leva sempre coma parte má e vice-versa, porque na hora haga lá esta ele e quem leva com a nossa má disposiçao? Ele. Enquanto que os amigos vamos tomar um cafe e simplesmente desabafamos!!
    Enfim as relaçoes sao muito cumplicadas.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Olá,

    gostava de convidá-la a conhecer o meu blog.
    É um blog de venda de roupa, calçado e acessórios de moda.
    Novos, semi-novos ou usados.
    É um sítio onde pode encontrar tudo o que uma mulher gosta, a preços muito baratos.
    Aproveite e boas compras!

    http://trapos-companhia.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  10. Muito OBRIGADA. É bom saber que as pessoas gostam de ler o que escrevo :')
    Também adorei o teu, é simplesmente um mimo, e os textos são lindos! *.*

    ResponderEliminar
  11. Os exercicos de humildade a que te referes são muito complicados para algumas pessoas...sabes porquê? Porque são exercicios, exigem esforço e o pessoal agarra-se mais depressa ao que se constroi sem esforço.:)*

    ResponderEliminar
  12. Ontem li-o, e fiquei tão obcecada com tais palavras que não resisti a uma partilha.
    Partilhei-o com os meus amigos, fiz os seus olhos igualmente verem verdades que muitos esquecem, na amizade.

    Não sei até que ponto tenho a privacidade do meu Facebook, mas só a ponto de curiosidade, tenho aqui o link de divulgação:
    http://www.facebook.com/notes/daniela-tavares/exercícios-de-humildade/196852670346887

    ResponderEliminar
  13. Obrigada querida , tambem já sigo adorei o blog (':
    gostei imenso do texto , está lindo *
    beijo .

    ResponderEliminar