Chateadíssima!!

Hoje percebo o descontentamento de dezenas de pessoas por verem os seus bens a serem destruídos por terceiros.
Declarações de amor? Podem-se fazer sim, mas há um limite para tudo!
Até a uma certa altura achava piada a declarações com "AMOTE" nas paredes, 
um dia cheguei a desejar e tudo depois de ver uma, mas hoje..
É desagradável, muito, ver o nosso muro de casa vandalizádo e escreverem lá o nosso nome.. 
Sabendo que jamais o nosso namorado iria estragar uma coisa nossa..
PENSO que sei quem foi, mas se for essa pessoa, este acto ainda mete mais repugnância e nojo!
Se a pessoa teve habilidade para escrever aquilo , 
também pode ter habilidade para hoje vir cá á noite pintar o muro!

The Perfect Home

Eu sou do género de Mulher que gosta de tudo o que é belo e inspirador.

Gosto de chá-doce..
                                          Alpendres.. 
Tardes com os amigos..
                                                     Sardinhas assadas.. 
                  Sábados no campo..
The kind of girl that dreams about living in a house that looks like this: 

 When I picture my dream house, this is it!
 Makes my heart smile!  

Vocês não adorariam dormir 
neste quarto principal? 

E tomar banho de espuma  
nesta fabulosa banheira?

 E ver o sol a nascer na varanda?

That's the good life.
It's like living on the set of Gone With the Wind...LOVE!
Mark my words...
vou viver numa casa como esta um dia.
  
{ Então, agora que viram a minha casa de sonho, qual é a vossa ideia de casa perfeita? }

Happy Wednesday, y'all!

Onde reside o amor

Depois de um grande desgosto de amor uma pessoa pode entregar-se à sua dor legítima, sentida e sincera, fazer o luto necessário durante o tempo que for preciso e depois respirar fundo, levantar a cabeça, fazer desporto, encarar cada dia como um desafio, descobrir um novo hobby, mas um desgosto de amor é sempre um desgosto de amor. E por vezes tão forte que nos rouba a vontade de viver.

Todos os anos há mulheres e homens que se matam por amor.
É verdade que ninguém morre de amor – embora algumas doenças, nomeadamente as do foro cancerígeno, possam estar associadas a grandes desgostos ou factores de stresse extremo e os cães morram quando perdem os seus donos – mas há e haverá sempre quem seja capaz de se matar por um amor perdido, uma traição, um abandono.


O que leva alguém a terminar com a sua própria vida por outra pessoa é algo que me transcende. É verdade que os estados amorosos mais profundos nos provocam uma sensação de fusão com o outro e nos dão a ilusão de uma unidade perfeita, única e irrepetível. Pelo menos é assim que fomos educados; o amor romântico tem de ser total, avassalador, eterno e imutável, estóico e intemporal, imune a todas as mudanças do mundo, inalterável, maior do que a vida. Antes e depois de tudo existe o amor e John dos Passos dizia que só há dois temas sobre os quais vale a pena escrever: o amor e a morte. Quando se unem numa obra ou numa vida, ganha a literatura e perde a humanidade.

Cada vez que a história de um suicídio por desgosto de amor se repete, através de notícias de jornais ou de pessoas conhecidas, fico perplexa. A vida não acaba quando acaba um amor. A vida só acaba quando o corpo morre e o coração pára de bater. A ideia de infligir a própria morte é ainda mais assustadora do que a de roubar a vida a outra pessoa.

Todos os dias assistimos em directo a situações em que a vida humana só sobrevive sob condições de tal forma violentas e precárias que põem a causa a capacidade de resistência dos seres humanos. E, no entanto, as pessoas sobrevivem. Sobrevivem a calamidades, doenças graves, desastres, torturas, prisões, morte de parentes, isolamento forçado, fome, medo, solidão, desespero. O que faz com que uma pessoa com uma vida mediana, uma casa, uma família, um tecto, filhos, um modo de vida e, por conseguinte, uma vida própria escolha a morte parece-me inexplicável.

Todas as religiões professam o amor a si próprio como um dos princípios basilares da condição humana. Tal como não podemos conhecer os outros se não nos conhecermos a nós próprios, também não podemos amar o próximo se não nos amarmos enquanto pessoas, se não valorizarmos o que temos de melhor e relativizarmos os nossos defeitos, aprendendo a ouvir a nossa voz interior como a nossa melhor companhia.
 
O amor reside dentro de cada pessoa e não fora dela.
E quem não o descobrir, está perdido.


Pink Inspiration

Olympus SP-800UZ

O que acham desta beleza?


Alguém tem uma igual?
Se sim agradecia a partilha da experiência,
estou a pensar adquirir uma.

Um por todos

Há quem seja feliz com um parceiro fixo, seja ele resultado de um casamento estável, de um eterno namoro ou de uma coabitação sem papel passado, e há quem encontre o seu equilíbrio na diversidade de parceiros ou parceiras. Nas últimas décadas, as mulheres estão mais liberais quanto à escolha e ao número de parceiros, para grande espanto e incómodo dos homens para quem a igualdade dos sexos ainda mal chegou à vida pública, quanto mais passar á porta de casa.
Eu explico: por mais voltas que se dê à questão, em Portugal, país de machos latinos, um homem que tem muitas mulheres é um garanhão, um herói, um espertalhão. Já uma mulher com uma colecção vasta de parceiros é uma desequilibrada, uma maluca, uma vaca...
Porquê?
  Porque a educação católica só nos mostrou duas mulheres; a Maria, virgem mesmo depois de conceber, casta e por isso santa, e a Madalena, que era meretriz e se arrependeu depois de conhecer a palavra do Senhor e deu em santa também. Com parâmetros destes, de facto é difícil construir a imagem de uma mulher de carne e osso cujas virtudes de carácter não passem por uma conduta de freira.  

Conheço mulheres que são dadas a coleccionar casos como quem compra tops na Zara e que não são nem mais nem menos felizes do que outras, casadas com uns grandessíssimos chatos. As que conheço e que se sentem felizes são as que vivem uma relação plena com a pessoa com quem estão. E nesses casos não conheço nenhuma que dê umas voltas por fora. Com os homens, a coisa é diferente. Quantos não mantêm casamentos felizes à vista desarmada, com idas frequentes ao Elefante Branco, casos com colegas de trabalho e, não raro, paixões intensas por outras mulheres?
A livre escolha de parceiros é uma conquista feminina recente e ainda com uma factura a pagar. Uma mulher que teve no passado vários parceiros ou que mantém no presente uma colecção variada não é olhada pelos homens da mesma forma do que uma  ‘boazinha’, ainda que esta seja uma grande sonsa, o que é mais frequente do que os homens podem imaginar.
Mais uma vez, os homens não pensam com a lógica, mas com o medo. Nem sequer são capazes de perceber que uma mulher escolhe o seu parceiro com base no que já conheceu em outros homens e que essa selecção pode ser resultado de uma escolha consciente e acertada. Tal como os homens fazem com as mulheres quando as separam entre as ‘deusas’ – belas, perfeitas e intocáveis – e as ‘outras’, que são para dar umas voltas. Afinal, se eles nos catalogam, porque não podemos fazer o mesmo?

O ideal era encontrar um homem completo, que valesse por todos, para que o velho princípio dos três mosqueteiros reinasse: um por todos, em louvor da plenitude.

I Am Number Four

...é um filme de ficção científica, acção e romance,
que já se encontra nas salas de cinema.


Nove crianças alienígenas, são trazidas para a terra e misturadas 
com os seres humanos. Fugiram do seu Planeta natal, "Lorien" porque uma 
espécie invasora, os Mogadorians, destruíram o seu planeta, e agora seguiram-nos até á Terra para matá-los um-a-um. A cada um foi atribuído um número. As crianças só podem ser mortas na sequência dos seus números. Números Um, Dois e Três já foram mortos até agora.
O número Quatro, John Smith, muda-se para “Paraíso” cidade fictícia em Ohio, disfarçado de estudante. Lá ele ganha uma amiga , Sarah Hart, uma rapariga doce, que é fotógrafa. 
Depois de passar a vida toda a fugir o número quatro apaixona-se, e agora tem algo para incentivar a luta pela sua vida...

Absolutamente Recomendável.
 Para além de ter uma grande história, também faz bem á vista......

Agora, DESCUBRAM porquê!


stop

AMOR DA MINHA VIDA

EU AMO-TE!

(Fui namorar.............................................. )!



Lluz e Amor



Meu Amor,

tem esta certeza: nada vai nublar o amor que eu sinto por ti!
Nenhuma sombra, nenhuma nuvem será capaz de resistir à luz que brota do meu coração 
quando eu penso em ti. E, tu sabes, passo os dias e as noites, todos os dias e noites somente a pensar em ti! 
Vejo-te nos meus sonhos e, também, na prosaica realidade, nas pequenas lembranças do 
nosso doce convívio: nos chinelos que deixas no quarto por cima da caixa das botas que me ofereceste,sempre fora do lugar; no copo de água inacabada, que amanhece no quarto; e até no espelho, quando me olho e me sinto mais bonita e luminosa por causa do amor que te dedico e também sei que me dedicas!

Quando penso em ti, o meu coração alegra-se e só tem espaço para a luz e o amor!
 

Pink Inspiration

Kamasutra para quê?

Nunca comprei nenhuma edição do Kamasutra e quis a divina providência que tal bíblia da ciência sexual jamais me fosse oferecida por um amigo entusiasmado ou um namorado esforçado a tentar ser original. Ainda bem. Das poucas vezes que folheei o tal compêndio, encontrei posições tão hilariantes que me fizeram pensar que, nem que o Homem Aranha se apaixonasse pela Mulher Elástico, aquilo seria possível. 
 Se é verdade que gostos não se discutem, também é verdade que as posições no sexo fazem toda a diferença. E que sem variedade nem imaginação, ninguém leva a carta a Garcia.

Os signos do Zodíaco, que dão para tudo, até para uma posição de eleição, poderiam ser bons indicadores, se nos esquecêssemos do mais importante. E o mais importante é que o todo é maior do que a soma das partes e quando um casal se funde por forma a tornar-se num todo, constrói e desenvolve a sua própria alquimia, secreta e inviolável, com os grandes segredos e pequenas cumplicidades que ela envolve. Cada casal tem a sua forma própria de amar, de seduzir o outro, a sua posição preferida. Logo, não há posições nem melhores nem piores, há aquelas que nos fazem sentir únicos com a pessoa que amamos.

É claro que a anatomia deles e delas varia de caso para caso e nem sempre as pessoas têm a sorte de encaixar. Há mulheres que não aguentam posições em que a penetração é muito profunda, bem como há homens com quem a Natureza não foi generosa a ponto de poderem proporcionar prazer em todas as posições, mas ainda e sempre o que prevalece é a capacidade de entrega e de adaptação de cada um em relação ao outro. Sem a dita alquimia que não se fabrica nem se explica, mas que, ou está lá, ou não, nada se faz.  
Arrisco-me a dizer que poucas situações na vida podem dar ao ser humano mais prazer do que encontrar, com aquele que ama, a posição certa. 

Doggy, spooning, missionário, mexicana, carrinho de mão, tanto faz. 
Não é preciso manual de instruções com figurinhas anexas. 

O que é preciso é que seja aquela, a que nos
faz sentir 
únicos e especiais!

Good or bad day?

Para mim o dia começou a algumas horas, e a minha "obrigação" diária (faculdade) terminou eram 12h.  O habitual de uma quinta-feira seria ir para casa, aproveitar 
a tarde livre para arrumar tudo, ver a telenovela das 14h30,
e esperar pela "A" para lhe dar explicação, mas hoje é algo impossível. 
Hoje apeteceu-me acordar um pouco em cima da hora de entrar, então só tive tempo de me arranjar, alisar o cabelo (aii...) e trazer o pequeno-almoço. 
A casa ficou toda desarrumada (grrrrr), não sabem como me pesa ir para casa e ainda ter que fazer as camas, o correcto seria:
- Ter saído de manhã e ter deixado as camas feitas. 
Quando chegasse passava com o aspirador e abria todas as janelas para arejar a casa..
Como já faz parte de mim, sinto que estou num dia não, porque para além de me ocuparem a tarde com uma reunião que não sei a que horas acaba, ainda tenho que sair sorrateiramente para as 16h arrumar a casa antes da explicação, e o tempo é pouco, claro que não vou dar explicação com a casa de pantanas.. 
A minha saída também pode parecer mal..
*(Se me seguem, sabem que estou a participar num Concurso Nacional, o Polieempreende, que visa juntar discentes do superior mais docentes na criação de uma Empresa. O meu grupo é constituído por 6 alunos e 6 professores).

Hoje é um dia ás pressas, já tiveram algum assim?

Happy THURSDAY, sweet friends.

Pink Inspiration