Uma questão de estilo

Há certas coisas em relação às quais nós, mulheres, somos mesmo chatas; não gostamos de homens que falam alto, não gostamos de homens que mentem e não gostamos de homens que usam as calças debaixo dos braços. Quanto mais velho é um homem, mais puxa as calças para cima, chegando a apertar o cinto à altura do esófago. Mas o pior é quando eles têm 30 anos e já o fazem: dá vontade de as puxar para baixo, até estas se situarem na linha do razoável. Pessoalmente, gosto de ver os jeans descaídos ao nível do ilíaco, desde que a rapaziada tenha volume para os segurar, mas se estiverem um pouco acima também estão bem, presas aos sovacos é que não.


Outro ponto fraco dos homens com o qual nós embirramos é o calçado, vulgo sapatos. Ou porque são foleiros, ou porque estão velhos, ou porque não vêem graxa há três estações, ou porque são quadrados à frente, ou porque são demasiado grandes e fazem lembrar os dos palhaços, ou então demasiado pequenos e por isso pouco inspiradores… Um homem que não anda bem calçado não merece descalçar-se no nosso tapete.
E há ainda a questão das gravatas: demasiado berrantes, de má qualidade, de padrões inconcebíveis, com o nó demasiado pequeno, mais compridas atrás do que à frente… e, por fim, a roupa interior.

A roupa interior de um homem diz tudo sobre ele: se são boxers largos, de pano e com coelhos, carrinhos ou foguetões, estamos perante um beto clássico da Lapa; se são pretos, justos e insinuantes, estamos perante um homem moderno com uma profissão semi-artística; se são brancos, de popelina, à antiga, então trata-se de um tio em estado puro, daqueles que usam e abusam do binómio Porsche-charuto e que ouvem Julio Iglesias na A5. E se, por azar, se apresenta de slips, então nenhuma mulher no seu perfeito juízo voltará a atender-lhe o telefone.

Embora a maior parte das mulheres ligue muito mais à roupa do que a maior parte dos homens, o facto é que eles gostam de nos ver bem vestidas, mas estão 90% do tempo a pensar como é que seremos despidas, pelo que é muito mais importante o que mostramos do que o que vestimos. Um decote bem estudado é capaz de provocar muito mais impacto do que uma bela gabardina da Prada comprada nos saldos e que mesmo assim custou uma fortuna.
Os homens são nisto, como em tantas outras coisas, muito mais fáceis de agradar: eles gostam de um sorriso simpático, de um cabelo bonito e pouco elaborado, de uma pele fresca e de roupa que deixe insinuar algumas formas, mas não em demasia.

No entanto, há um aspecto em que também eles são sensíveis: os sapatos. Vale a pena investir em bons sapatos e boas botas, porque o que calçamos pode ter um alcance erótico que nós, mulheres, nem sempre medimos. Nunca esquecerei o que disse um amigo meu no dia em que conheceu uma amiga minha, muito bonita e elegante, que vestia uma saia comprida e um camisola de gola alta: só lhe deixava ficar as botas, sussurrou o garanhão entre dentes, enquanto a fixava de longe, protegido pelo véu das baforadas de um cigarro. No caso relatado, o predador não levou a sua presa em sorte, mas foi sem dúvida um daqueles momentos em que aprendi um pouco mais sobre o sexo masculino. 
 
Eles querem-nos vestidas para nos poderem despir, e o resto é paisagem.

1 comentário:

  1. Mas onde raio vais tu buscar estas coisas todas? Se for à tua cabecinha também quero ter uma como a tua!

    Ri-me um bocadinho quando estava a ler o tipo de roupa interior que eles usam x)

    E a última frase diz tudo. O meu namorado costuma dizer que se as coisas não me ficam bem mais me quer despir para não me ver mal vestida xD Ele sabe-a toda! Espertalhão, mas não ganha sempre!

    ResponderEliminar