O fácil e o difícil

O QUE é uma mulher difícil? 
Fiz uma ronda via sms a uma dúzia de homens e recebi várias respostas previsíveis e uma brilhante. As repostas óbvias incluíam: uma mulher difícil é aquela que nunca sabe o que quer; a que nunca está satisfeita; a que não gosta de sexo; a que embirra por tudo e por nada; a que vive a queixar-se. A resposta brilhante foi: uma mulher difícil é uma mulher que não sabe aquilo que eu quero. 
E o que é um homem difícil? 
– perguntei numa segunda ronda. O mesmo homem respondeu-me: isso não existe, não há homens difíceis quando as mulheres sabem lidar com eles.
 
Não professo a teoria simplista de que a mulher seja mais complicada do que o homem, embora acredite que não há nada simples que uma mulher não consiga complicar e nada complicado que uma mulher não complique ainda mais. As mulheres gostam tanto de complicar como os homens gostam de simplificar. Mas também há muito homens que se enquadram na categoria dos Complicadinhos da Silva, aqueles que têm medos, traumas, pregos na cabeça, inseguranças, casos mal resolvidos, que nunca fazem escolhas e que são incapazes de tomar decisões, que levaram um par de patins ou um par de outras coisas, que detestam as mulheres embora precisem delas, que quantos mais anos passam pior as entendem, que não sabem nem amar nem ser amados, nem dar nem receber, nem têm a menor ideia do que é estar à mesa ou na cama com uma mulher. Se pensarmos que alguns destes vivem convencidos que são óptimos, tudo se complica ainda mais.

Uma mulher pode ser complexa, mas só é difícil se for neurótica. Um homem complexo já é um homem difícil. Porquê? Porque um homem que tenha a cabeça arrumada é fácil por natureza. As suas ambições são, afinal, simples e claras: ele quer ser feliz, ter um trabalho que o realize, dinheiro suficiente para não ter de fazer contas e uma mulher bestial com quem tenha uma boa relação dentro e fora da cama. E, de preferência, que saiba o que ele quer. É claro que ele também ambiciona um carro com mais cavalos, um prémio no fim do ano com mais zeros e sonha em ser o Flávio Briattori por um dia, mas se isso não suceder, não mergulha em depressão e continua o seu caminho.

A questão de fundo aqui é que uma mulher só sabe o que um homem quer se ela também souber o que quer para si própria. E se souber explicar-se. E se acreditar que o que ela quer é bom para ela, para que, quando dá ao seu parceiro o que ele quer, não lhe esteja a fazer um favor a ele, mas a ela mesma.
Uma mulher complicada não é, afinal, assim tão diferente de um homem problemático. Também tem os seus medos, os seus traumas, a sua colecção de patins no roupeiro, bem como de outros adereços incompatíveis com o uso de chapéus. A grande diferença está entre as mulheres que andam para a frente, como o faz a maior parte dos homens, e as que se deixam amargar ou endurecer. Quando elas caem nessa ratoeira, perdem a graça. E eles também.

O jogo do fácil e do difícil deixa de se jogar, porque as pessoas desistem e, ao contrário dos contos de fadas, ficam difíceis para sempre. E ninguém é obrigado a aturar um difícil para sempre.

- Fui de férias! Um grande beijo a todas.

6 comentários:

  1. Gostei muito deste post... São ditas grandes verdades!
    Boas féria...

    xoxo
    Lux

    ResponderEliminar
  2. Gostei imenso do post! Tantas complexidades que existem nesta nossa vida...
    Bjs grandes

    ResponderEliminar
  3. AMEI O POST!
    posso levar para o meu blog? Ponho os direitos de autor ;D

    Boas férias. Diverte-te *

    ResponderEliminar
  4. Levei o teu texto. Levei-o e acarinhei-o lá no meu blog. Está lá tudo. Com os devidos direitos de autor! E hoje nasceu uma nova etiqueta no meu blog #TextosQueGostavaDeTerEscrito :))

    O teu foi o 1º :))

    Beijinho

    ResponderEliminar